Menu

Logitech anuncia chegada do mouse G Pro Wireless ao mercado brasileiro

O periférico foi desenvolvido com jogadores profissionais e engenheiros capacitados para extrair o melhor da tecnologia sem fio

A Logitech G, marca especializada em games da Logitech, anuncia a chegada do mouse G PRO Wireless ao mercado brasileiro. De atletas para atletas, ele foi desenvolvido com a ajuda de jogadores profissionais que buscam os melhores recursos em um periférico e traz, além do sensor HERO 16k, a tecnologia exclusiva LIGHTSPEED para uma resposta rápida, eficaz e assertiva.

Com apenas 80g, o G PRO Wireless foi desenvolvido para ser incrivelmente leve e, ainda assim, muito resistente. Essa junção de força e leveza só foi possível graças à construção de uma parede de 1 mm e seu design único. Além disso, o periférico também é compatível com a tecnologia exclusiva Logitech G POWERPLAY, um mousepad que garante bateria infinita ao mouse ao carregá-lo por indução.

O G PRO Wireless é o resultado de um trabalho de 2 anos e a colaboração com mais de 50 profissionais de eSports do mundo, e traz a mais avançada tecnologia para ajudar o jogador a fazer a única coisa que realmente importa: vencer.

“Nós sempre acreditamos que a tecnologia wireless avançaria e com isso, poderíamos ver times profissionais jogando e ganhando com nossos periféricos sem fio”, diz Jairo Rozenblit, presidente da Logitech Brasil. “Temos jogadores profissionais usando este mouse em competições há meses!”, finaliza.

Graças ao sensor HERO 16K, é possível ter uma performance durante as partidas com até 16.000 DPI. O sensor é extremamente preciso sem a necessidade de aceleração, suavização ou filtragem em toda a faixa de DPI.

Além do sensor HERO 16K, o G PRO Wireless conta com a tecnologia LIGHTSPEED, exclusiva Logitech G. Com ela é possível se ver livre de qualquer lag e ter uma experiência de até 1ms. Essa conexão wireless tem uma resposta extremamente rápida e chega a superar os mouses com fio, tornando-se perfeita para competições. Além disso, caso queira evitar a perda do receptor, é possível guardá-lo em um compartimento dentro do próprio periférico.

Um dos recursos do mouse inclui a remoção dos botões laterais, que permite adaptá-lo tanto para destros, quanto canhotos. Também é possível configurar todos os botões e o LIGHTSYNC RGB através do G HUB, software exclusivo da Logitech G. Por fim, o botão de mudança do DPI foi estrategicamente posicionado embaixo do mouse, a fim de evitar mudanças acidentais durante a partida.

O novo G PRO Wireless já está disponível pelo valor de R$ 699,90.

 

Leia mais ...

TOPMIND é parceira de infraestrutura de TI da Syngenta

Empresa será responsável pela entrega de itens de infraestrutura, telefonia IP e Internet, além de suporte técnico especializado para as lojas próprias da Syngenta no País

A TOPMIND, uma das principais empresas de soluções de TI da América Latina, é responsável por montar a infraestrutura, telefonia IP e Internet, além de oferecer suporte técnico especializado às novas lojas próprias da Syngenta, companhia multinacional líder no segmento agrícola, no Brasil. 

A Syngenta iniciou, recentemente, a abertura de lojas próprias, chamadas Atua Agro. Para essa nova operação, a empresa decidiu contar com o apoio de um parceiro especializado no mundo IaaS (infraestrutura como serviço) que tivesse condições de acompanhar a velocidade da companhia. “Um dos desafios era prover rapidamente toda infraestrutura, com Internet e telefonia, para nossas lojas, que ficam em regiões afastadas de grandes centros metropolitanos. Com capilaridade e presença em todo o território nacional, a TOPMIND é a parceira ideal para atender nossos requerimentos e as particularidades do setor”, diz Alexandre Fatobene, gerente de TI da Syngenta.

O mercado, cada vez mais, tem buscado parcerias que agreguem aos negócios velocidade e disponibilidade. Dessa forma, o modelo de IaaS é um diferencial. “Essa novidade reforça a marca TOPMIND como uma empresa atenta às tendências de mercado e que agrega valor à operação de seus clientes. Nosso objetivo é apoiar a jornada e os desafios de tecnologia, com serviços disruptivos, alta performance e agilidade”, afirma Sandra Maura, CEO da TOPMIND.

A operação das lojas da Syngenta está apenas começando e a empresa terá muitas novidades para compartilhar com o mercado, já que o segmento de agronegócios vive um momento de crescimento no Brasil e em outros países. “Com a parceria, a TOPMIND fornecerá à Syngenta, além do IaaS, suporte técnico especializado para que o cliente possa manter o foco em seu core business”, diz Sandra Maura. A primeira dessas lojas fica em Ijuí, no Rio Grande do Sul, 395 km distante da capital Porto Alegre.

O processo de BID para o serviço contratado seguiu uma avaliação rigorosa, pois além de possuir know-how técnico era necessário cumprir a agenda de abertura das lojas. “O engajamento da TOPMIND foi de muita relevância para que tudo fosse entregue na data planejada e com 100% de disponibilidade”, diz Fatobene.

“As áreas de tecnologia e negócios estão cada vez mais integradas e conectadas. Nesse sentido, parcerias externas também são muito bem vindas e possibilitam às empresas a oferta de experiências únicas e memoráveis aos seus clientes”, afirma Sandra Maura.

 

Leia mais ...

Brasileiros estão dispostos a pagar mais para ter internet 5G, revela Deloitte

Tema frequente e muito debatido pelos especialistas e apaixonados por tecnologia, o 5G está cada vez mais provocando curiosidade e ansiedade ao redor do mundo. E no mercado brasileiro não é diferente - o desejo pela internet mais rápida é destaque da edição deste ano da Global Mobile Consumer Survey Brasil. Realizada com 2 mil usuários de telefonia móvel no país, o objetivo é identificar as tendências para o setor de telecomunicações nacional, por meio de análise de hábitos, expectativas e oportunidades de usuários e do mercado global.

 Apontado por dois terços dos respondentes, a internet 5G dez vezes mais rápida do que a 4G é considerada muito importante para os usuários. Cerca de 69% dos participantes estão dispostos a pagar mais caro pela tecnologia e 45% consideram migrar para a rede assim que ela estiver disponível.

 “As novas tecnologias chegaram para proporcionar aos modelos de empresas tradicionais, por meio de plataformas e ecossistemas digitais, uma ‘nova ordem’ do processo de globalização. O 5G entra em cena para habilitar o uso dessas novas tecnologias que possibilitarão as transformações das empresas. Esta será a oportunidade para o Brasil se inserir no bloco dos países líderes da Economia Digital.”, declara Márcia Ogawa, sócia-líder de Telecomunicações, Mídia e Tecnologia da Deloitte.

 O interesse das empresas em adotar o 5G é grande, contudo, é imprescindível ao mercado fazer uma avaliação dos benefícios que a rede trará a população, que vão além da velocidade. Outro ponto importante é a análise do impacto dos custos de implementação sobre o preço ao consumidor.

  Smartphones na liderança da corrida tecnológica

 Os smartphones seguem como os dispositivos eletrônicos utilizados com maior frequência pelos entrevistados. Do total de respondentes, 95% haviam utilizado o aparelho nas últimas 24h anteriores à pesquisa, bem à frente de desktop (70%) e notebook (66%). Isso indica a consolidação do smartphone como fonte de comunicação e pesquisa principal.

 Segundo a Global Mobile Consumer Survey Brasil 2019, as atividades de compras são as mais realizadas pelos usuários no celular: 89% afirmam usar o dispositivo para pesquisar sobre produtos e serviços, seguido de navegar em sites/apps de compras (87%), ler avaliações sobre produtos/serviços (82%) e comprar online (80%). Entre os principais motivos para a escolha de um aplicativo de compra online estão a rapidez (34%), o baixo custo da entrega (27%) e a garantia de segurança (23%).

 Produtos e serviços relacionados à saúde e beleza são os que os entrevistados adquirem com maior frequência pelo celular (34% afirmaram que compram mensalmente pelo dispositivo). Esses dados refletem o aumento da confiança do consumidor no ambiente online e a ascensão de novas plataformas de pagamento, e-commerce e entrega.

 Trabalho x Lazer

 Em um momento onde os modelos de negócios exigem agilidade e conectividade dos dados, os smartphones se tornam, cada vez mais, prioritários na comunicação profissional. A pesquisa aponta que existe um equilíbrio entre as atividades profissionais exercidas nos momentos de folga e as atividades pessoais durante expediente de trabalho. Cerca de 44% dos entrevistados assumem se distrair com o celular durante o trabalho e mais de dois terços utilizam o aparelho durante o expediente para fins pessoais. Ambas situações ocorrem com alguma ou muita frequência. Do outro lado, 90% afirmam o uso para fins profissionais fora do horário de expediente.

 Smart TVs ganham força

 Em resultado ao papel dos smartphones como hub de controle de outros dispositivos conectados, a smart TV se tornou o equipamento de entretenimento doméstico mais utilizado pelos brasileiros, de acordo com 59% dos respondentes. A transmissão de vídeos para a televisão é a atividade mais realizada por meio de site ou aplicativo no celular (47%). Em segundo lugar, na lista dos aparelhos, estão os videogames (33%) e o streaming de vídeo (25%). É importante ressaltar que a frequência do uso dos celulares aplicados aos carros conectados também é significativa (71% dos usuários que possuem o sistema o utilizam) e isso torna o celular um grande aliado na busca por mobilidade.

 Uso dos aplicativos de comunicação

 O WhatsApp é apontado pela pesquisa como aplicativo de comunicação mais utilizado. Oito em cada dez respondentes indicaram utilizá-lo pelo menos uma vez por hora. Em seguida, encontram-se Facebook, e-mail pessoal e Instagram. Os aplicativos de namoro e encontros são os menos utilizados, seguidos por Snapchat e Skype.

 Dados seguros

 A preocupação com a segurança de dados está cada vez mais consolidada entre os brasileiros. Mais de 70% dos respondentes se preocupam com o compartilhamento, armazenamento e uso de seus dados pessoais. Porém, 54% indicaram aceitar os termos e condições sempre ou quase sempre sem lê-los e apenas 9% responderam não seguir adiante sem lê-los.

 “Esse cenário amplifica ainda mais a preocupação e responsabilidade das empresas sobre a governança dos dados pessoais de seus clientes”, finaliza Ogawa.

 

 

De acordo com a Global Mobile Consumer Survey Brasil 2019, 69% dos entrevistados estão dispostos a investir mais na quinta geração de telefonia

Leia mais ...

Bancos são os que mais investem em presença digital móvel no Brasil

Pelo 2° ano consecutivo, setor está no topo da pesquisa Mobility Index 2019, da consultoria Pontomobi, que avalia grau de maturidade digital das empresas e dos setores mais importantes da Economia

Pelo segundo ano consecutivo, o setor bancário é o mais que investe em presença digital móvel no Brasil, segundo resultado da pesquisa "Mobility Index" 2019, que a consultoria de negócios em mobile Pontomobi divulga anualmente. O "Mindex", como também é chamado o estudo, avalia o grau de desenvolvimento e maturidade em presença digital das 325 empresas mais valiosas da Economia brasileira, em 42 dos setores mais estratégicos. Entre outras condicionantes, são avaliados quatro tipos de canais de interação móvel: mobile web; aplicativos; plataformas conversacionais; e plataformas sociais. O estudo está na sexta edição e possui recorte único no País.


 O "Mindex" classificou as empresas que foram avaliadas no levantamento em ordem crescente, como "mobile beginner", "mobile basic", "mobile ready" e "mobile expert", considerando critérios como otimização, design responsivo e conteúdo. A partir dessa classificação, por meio do estudo foram identificadas as 20 marcas mais "mobile experts" do Brasil.
 

O bom desempenho do setor bancário foi impulsionado especialmente pelo Itaú, que está no topo da lista dessas TOP 20 pelo segundo ano consecutivo, pelo Bradesco, que ocupa a terceira posição, e Santander a sexta posição.
 

Os setores de Telecomunicações, Cias. Aéreas, Tecnologia e Benefícios também se destacaram este ano, muito embora, no caso do último setor, tenham caído de posição em comparação aos resultados dos últimos anos. Este ano, um dos destaques mais notórios é também a presença de empresas de varejo entre as TOP 20.
 

"De maneira geral, houve uma melhora na nota média das marcas para mobile sites, principalmente na otimização dos sites para o ambiente móvel e das plataformas de mensageira devido a abertura do WhatsApp Enterprise. Um dos motivos para o fato dos bancos, telecomunicações e companhias aéreas terem se destacado no estudo é o esforço que esses segmentos realizam para escalar a capacidade de atendimento dos seus clientes em deslocamento", afirma Léo Xavier, CEO da Pontomobi e Professor da USP, FGV e Insper.
 

Ainda de acordo com o CEO da Pontomobi, a presença das empresas no mundo mobile está além dos aplicativos, pois o Brasil apresenta um bom cenário para testar e investir em diferentes tendências digitais.
 

"O ‘Mobility Index’ é como um ‘farol’ que ajuda as marcas brasileiras a se posicionarem no universo digital. É possível entender se o seu setor está entre os mais avançados em tecnologia ou não e, a partir das análises, identificar quais soluções tecnológicas podem alavancar e/ou manter o seu negócio no mercado brasileiro, que está cada vez mais aberto ao desenvolvimento de soluções móveis", comenta.
 

Mensageria é a grande tendência de negócios; Whatsapp é maior expoente
 

O estudo também revela as tendências em tecnologias móveis que devem viralizar como soluções e ferramentas de negócios nos próximos anos.
 

Uma delas é a mensageria. De acordo com o estudo, Facebook Messenger é o canal mais utilizado pelas marcas, e o WhatsApp entrou neste ano no ranking, devido, principalmente, à abertura do WhatsApp Enterprise.
 

"WhatsApp é um canal muito forte para marcas interagir com os clientes. Certamente, surgirão muitas empresas exclusivas nessa plataforma. Outro aplicativo que possui vocação transacional incrível é o Instagram, que promete engajar, muito além de relacionamento, novos negócios", comenta Léo Xavier.
 

 

Leia mais ...

Nova plataforma da Thales usa IA para detectar ciberataques complexos

A Cybels Analytics detecta ameaças avançadas persistentes consideravelmente mais rápido, reduzindo o tempo de detecção de mais de três meses para apenas alguns dias

As técnicas de ataque cibernético que surgiram nos últimos anos são cada vez mais complexas e difíceis de detectar. Apesar da crescente conscientização por parte das organizações e implantações frequentes de sistemas de detecção de ataques, sejam eles baseados em regras projetadas em torno de padrões conhecidos ou não, os analistas de segurança cibernética também precisam detectar ameaças anteriormente desconhecidas, analisar ataques de maneira mais rápida e economizar tempo na realização de investigações, após o comprometimento de um sistema.

A Thales desenvolveu a Cybels Analytics, uma solução abrangente e avançada de detecção de ataques, para atender a essas necessidades. A plataforma, a ser lançada na edição 2020 do Fórum Internacional de Segurança Cibernética (FIC), inovadora, combina detecção de ameaças em tempo real com base na análise de ameaças existentes (Inteligência de Ameaças Cibernéticas) e pesquisa proativa de ataques cibernéticos avançados e inéditos (investigação "fria" ou busca), graças à inteligência artificial e aos módulos de visualização gráfica. Essas capacidades reduzem significativamente o tempo necessário para detectar ameaças avançadas persistentes, de três meses ou mais para uma média de apenas alguns dias, de acordo com os resultados dos testes.

A Cybels Analytics usa os algoritmos de aprendizado de máquina, desenvolvidos pela Thales, para detectar situações anormais com base em grandes volumes de dados heterogêneos originados de diversas fontes (dados de rede, análise de end point, OT logging, etc.), ajudando a identificar padrões de ataque e descobrir ameaças anteriormente desconhecidas. Esses algoritmos, baseados nos princípios TrUE AI da Thales, podem ser adaptados às necessidades específicas de cada negócio pelos próprios clientes por meio de uma interface gráfica fácil de usar.

A Cybels Analytics pode ser integrada a um Centro de Operações de Segurança (SOC) ou fornecido como um serviço na nuvem, permitindo que todos os sistemas de detecção do usuário (SIEM, EDR, NIDS, etc.) trabalhem juntos e se complementem. A plataforma é uma adição importante aos produtos de segurança cibernética oferecidos da Thales, complementando a série de serviços gerenciados e fornecidos por meio da sua rede SOC, dando suporte ao Cybels Sensor Trusted Probe, credenciado pela Agência Nacional de Segurança da Informação da França (ANSSI). A Cybels Analytics também está conectada ao serviço da Thales Cyber Threat Intelligence. Ao referenciar informações cruzadas sobre ameaças cibernéticas existentes com os registros do sistema de uma organização, a Cybels Analytics garante uma detecção mais apurada e exaustiva dos ataques não identificados, revelando três vezes mais indicadores de detecção de comprometimento do que os produtos convencionais de detecção de ataques.

Com todo o ecossistema de detecção de ameaças integrado na mesma plataforma, a Cybels Analytics aprimora os recursos de detecção do cliente ao mesmo tempo em que simplifica o processo para os usuários. Além disso, para adaptar a plataforma ao ambiente específico de cada setor de atividade, poderosos módulos de visualização de dados permitem que os usuários executem suas próprias pesquisas com facilidade, identifiquem qualquer anomalia rapidamente e economizem um tempo precioso na etapa de investigação. Embora muitas vezes demore semanas para desenvolver uma imagem completa do sistema de informações de uma organização usando produtos de investigação padrão, a Cybels Analytics reduz esse processo para apenas algumas horas.

A plataforma Cybels Analytics da Thales é uma poderosa solução de análise de registros que aprende automaticamente com a experiência, permitindo que clientes corporativos e governamentais detectem anormalidades com mais rapidez e maior eficiência e melhorando continuamente a eficiência operacional de seus esforços para detectar novas ameaças e adaptar suas defesas cibernéticas a seus ambientes operacionais específicos.

 

 

Leia mais ...

Nova edição do ERP Summit discute o software como agente de transformação humana

Maior evento da América Latina sobre software e gestão acontece nos dias 14 e 15 de abril, no Expo Center Norte. Expectativa para esta edição é de 8 mil visitantes

 O ERP Summit - maior evento da América Latina sobre software e gestão – chega a sua 4ª edição no Brasil tendo como tema central: “O software como agente da transformação humana e dos negócios”. A atividade acontece no Expo Center Norte, na capital paulista, com uma novidade: a ampliação no tempo de duração do evento, que passa a acontecer em dois dias, mais precisamente 14 e 15 de abril de 2020.

 Dividido em Congresso e Expo, o evento consolida-se como a principal agenda de empresários, CEOs, VP’s, CIOs, CTOs, CFOs, diretores e gestores para abordarem as tendências, evolução e networking sobre a utilização de softwares na gestão das empresas. O evento é voltado, não apenas para profissionais do setor tecnológico, mas também para quem compreende o investimento em tecnologia como fundamental para o crescimento do negócio. A expectativa para este ano é de aproximadamente 8 mil visitantes e os ingressos variam de R$ 500 a R$ 3000.

 Além da área de exposição, os dois dias significam também uma ampliação na grade de conteúdo, na qual as quatro plenárias e oito auditórios, divididos pelos setores de mercado (Agro, Indústria, Varejo, Serviços, Distribuição e Logística, Cloud, Tech e outros segmentos), vão disponibilizar ao participante cerca de 150 palestras.

 “A mudança para dois dias visa atender não só uma sugestão antiga dos expositores como também um pedido de muitos participantes. Em um espaço ainda maior que em 2019, e com este novo formato, poderemos entregar um evento ainda mais rico em conteúdo e disponibilizar também ainda mais espaço para receber novos expositores, para que o comprador possa efetivamente conhecer as tecnologias que vão lhe atender da maneira mais adequada possível”, comenta o Publisher e Co-Founder do Grupo Portal ERP, Luciano Itamar.

 O ERP Summit 2020 também deverá propor novos formatos de experiência aos participantes, entra elas a “Rodada de negócios”, mais um elemento que tem como objetivo fomentar a troca de informações e a geração de perspectivas de negócios entre os presentes.

 Seu principal objetivo é levar competitividade às empresas pela adequada utilização de software de gestão e por conta disso, grandes nomes do mercado, profissionais reconhecidos e todos os envolvidos no setor, se reunirão para discutir as tendências, caminhos e a evolução para a área de software no Brasil.

 “O ERP Summit sempre buscou novas formas de oferecer o que há de melhor em termos de networking. Desse modo, é nosso desafio apresentar para o público, novidades que possam fazê-los se sentirem mais atraídos e satisfeitos em participar do evento. Para a edição de 2020 estamos preparando algumas novidades, com a intenção de surpreender e suprir as necessidades de nossos visitantes e expositores”, salienta o diretor e Co-Founder do Grupo Portal ERP, Marcelo Sinhorini.

 América Latina

 Em outubro de 2019 o ERP Summit celebrou sua primeira edição LATAM. O evento escolheu a cidade de Bogotá para ser a sede de sua primeira edição andina. O ERP Summit Colômbia, contou com quase mil inscrições, que resultaram na participação de diversos visitantes, que assim como no Brasil, puderam ter acesso a uma série de palestras e reuniões, focadas nas melhores práticas e estratégias de gestão empresarial. Além de ter a oportunidade de conhecer grandes empresas, que atualmente são destaque no cenário latino americano de software e gestão. Para 2020, já está planejado um novo evento, ainda maior, na Colômbia e a primeira edição do ERP Summit no México.

 Serviço

ERP Summit 2020 – Brasil

Data: 14 e 15 de abril de 2020

Local: Expo Center Norte

Endereço: Rua José Bernardo Pinto, nº 333 - Vila Guilherme, São Paulo/SP.

Inscrições: https://erpsummit.com.br/

 

Leia mais ...

Tecnologia apoia transformação das revendas de bebidas

Com o investimento em novos aplicativos e soluções tecnológicas, Confenar possibilita o aprimoramento das mais de 100 distribuidoras de bebidas Ambev associadas em todo o Brasil

 Em tempos de transformação digital, estar preparado para adotar as principais novidades do mercado é uma tarefa que requer um cuidado especial. Afinal de contas, a mudança constante da tecnologia influencia empresas de todos os portes e segmentos para atualizar suas ferramentas e processos. Para a Confederação Nacional das Revendas Ambev e das Empresas de Logística da Distribuição (Confenar), a inovação é um ponto-chave para o sucesso da distribuição de bebidas. Por isso, alinhada a esse cenário, apoia continuamente as mais de 100 distribuidoras de todo o Brasil na aplicação e até no desenvolvimento de soluções voltadas às diversas áreas da operação, incluindo Compras, Transporte, Armazenamento e Atendimento ao Cliente.

 Com o apoio de especialistas de Tecnologia da Informação, a Confenar conta, atualmente, com um plano de inovação, com participação ativa das Diretorias de TI, de Negócios e de Gente e Capacitação, além da Rede de Revendas. “O objetivo é garantir que a prestação de serviços seja cada vez mais eficiente. Queremos que o revendedor tenha todas as informações necessárias unificadas de maneira digital, com ferramentas que ofereçam funcionalidades para aprimorar a produtividade e impactar positivamente no balanço final das revendas”, diz Erick Nassif, diretor de Tecnologia da Informação na Confenar.

A orientação é para que os colaboradores envolvidos na Rede estejam sempre atentos aos lançamentos tecnológicos que possam facilitar o trabalho das revendas. “A Confederação procura ouvir todos os executivos das distribuidoras, incentivando-os a procurarem por novidades”, afirma Nassif. “Com novas tecnologias, facilitamos o trabalho de todos, o que reverte positivamente para toda a Confenar. Muitas revendas fazem testes com soluções novas e passam a ideia para avaliarmos. Internamente, analisamos se podem ser expandidas e divididas com os demais revendedores, e quais seriam os benefícios em nível nacional. Após aprovação, começamos o processo de divulgação e disponibilização aos interessados pela ferramenta”, explica.

 Os desafios consistem em usar inovações que melhorem aspectos como o armazenamento de estoques, a gestão do dia a dia dos colaboradores, a realização das ordens de entregas, desenvolvimento de produtos específicos para cada cliente e localidade, análise de vendas, entre outros pontos. “São diversos fatores que precisam ser pensados e a tecnologia entra para facilitar a vida de todos que atuam diretamente com o cliente final”, conta o Diretor. “O uso de Inteligência Artificial tem sido muito aplicado em conjunto o Big Data, que consiste no cruzamento de um volume enorme de informações para ajudar, por exemplo, a prever quais produtos têm maior chance em um ponto de venda (PDV) e qual é a quantidade sugerida para a comercialização dessas bebidas. Nosso processo se tornou muito mais assertivo e conectado com o cliente, ajudando inclusive a aumentar as suas vendas”, conta Nassif.

 Entre as principais inovações já utilizadas pela Confenar estão o Power BI, para análises profundas e visuais dos principais indicadores das revendas, e o Touch to Picking (T2P), que otimiza a montagem de cargas por meio de ordem logística e divisão de funções entre colaboradores. “Para 2020, nosso radar está voltado para a revolução que as fintechs têm promovido como a solução de pagamento, iniciativa forte nos grandes centros urbanos e que também está sendo aplicada no mercado das revendas”, afirma Nassif.

 

Leia mais ...

Consumidor pode consultar celulares pré-pagos ligados ao seu CPF

A medida vai possibilitar que o consumidor verifique se há alguma linha estranha ao seu conhecimento vinculada à prestadora

 

A medida vai possibilitar que o consumidor verifique se há alguma linha estranha ao seu conhecimento vinculada à prestadora

A partir desta quarta-feira (22/1), todos os consumidores podem consultar no portal https://cadastropre.com.br/#/ a existência de celulares pré-pagos no seu CPF, em cada uma das prestadoras: Algar, Claro, Oi, Sercomtel, TIM e Vivo.

A solução foi apresentada pelas empresas no Plano de Ação Setorial e aprovada pela Anatel no âmbito do Projeto Cadastro Pré-Pago.

A medida vai possibilitar que o consumidor verifique se há alguma linha estranha ao seu conhecimento vinculada à prestadora e, sendo o caso, que possa solicitar o seu cancelamento. Hoje, no Brasil, há cerca de 135 milhões de celulares pré-pagos e, destes, 3 acessos a cada 1000 apresentam inconsistências cadastrais.

O pedido de cancelamento do consumidor deverá ser atendido em até 24 horas, caso a solicitação seja executada por meio de atendente, e até 48 horas se solicitada automaticamente (no call center ou portal da prestadora, sem a intervenção humana).

Na área de Perguntas Frequentes do portal estão relacionadas respostas às principais dúvidas sobre os serviços, além da lista com os endereços eletrônicos e as centrais de atendimento das prestadoras para contato, em caso de solicitações de cancelamento de linha indevidamente vinculada ao CPF.

Eventualmente, as prestadoras poderão entrar em contato com os detentores de linhas sem titularidade reconhecida para solicitar a atualização cadastral, sob pena de cancelamento das mesmas.

Projeto Cadastro Pré-Pago. A iniciativa da Anatel busca garantir que a base cadastral da telefonia móvel esteja correta e atualizada, a fim de evitar a ocorrência de fraudes e, dessa forma, proporcionar mais segurança aos consumidores.

A primeira etapa do Projeto ocorreu entre abril e novembro de 2019. Neste período, as prestadoras realizaram campanha para atualização cadastral junto aos titulares de linhas pré-pagas ativas de todo o País.

Em 2020, estão sendo iniciadas a segunda e a terceira etapas. Além da disponibilização do Portal de Consulta de Linhas por CPF, estão previstas medidas adicionais para melhoria dos procedimentos de habilitação de novos chips, como a adoção de um modelo de cadastro com validação documental e digitalização das informações cadastrais, entre outras ações.

Como atualizar dados cadastrais. Caso o consumidor queira tirar dúvidas sobre o assunto ou solicitar atualização de seus dados cadastrais, basta entrar em contato telefônico com a sua prestadora.

 

 
 

Leia mais ...

Estudo mostra que 60% das empresas brasileiras já usam Data & Analytics

Segundo o levantamento da MicroeStrategy, em parceria com a Hall & Partners, 2020 deverá marcar o início de uma nova era para Data & Analytics

No Brasil, 60% das empresas já usam Data & Analytics para orientar estratégias e mudanças necessárias nos negócios. Desenvolvimento de novos produtos, gestão de riscos, análise de força de trabalho e melhoria da eficiência de custos, destacam-se como os cinco principais usos destas tecnologias no mercado brasileiro. Os dados foram extraídos da pesquisa Global State of Enterprise Analytics 2019¸ iniciativa da MicroStrategy em parceria com a consultoria global de pesquisa Hall & Partners,  que busca traçar um panorama global e intersetorial sobre o estado atual e o uso futuro de dados e análises corporativas.  Pelo segundo ano consecutivo, foram entrevistados cerca de 500 profissionais de todo o mundo que tomam decisões estratégicas baseados nas tecnologias de business intelligence e analytics. Os participantes foram questionados a respeito dos benefícios, desafios, investimentos e prioridades - e o mais importante, foram convidados a avaliar se suas inciativas estão avançando no sentido de possibilitar a adoção de uma cultura orientada a dados em suas empresas.

Segundo o levantamento, 2020 deverá marcar o início de uma nova era para Data & Analytics, com grandes promessas de inovação e promoção de experiências intuitivas que finalmente ajudarão a tornar as empresas mais inteligentes.  É unânime, tanto no Brasil como globalmente, a convicção da enorme relevância  dos dados e das soluções de analytics no processo de transformação digital: 94% dos entrevistados avaliam que são componentes cruciais em suas estratégias e esforços rumo à transformação digital.  

Por aqui, quem participou da pesquisa está bastante seguro com o seu nível de maturidade no uso do Data & Analytics. Quase um terço (32%) dos brasileiros ouvidos posiciona-se à frente de seus pares no que diz respeito à prática de tomar decisões baseadas em dados -  a média global é de 26%.  Outro ponto interessante é que, ao contrário do cenário global em que Cloud Computing é a tendência que está no topo entre as que mais impactam a adoção do Analytics, no Brasil, essa tecnologia é a apenas a terceira entre as três mais citadas (17%), precedida por Inteligência Artificial e Machine Learning (17%) e Internet of Things (18%).

Sobre as barreiras e medos que impedem a adesão ao Data & Analytics, aparecem em primeiro lugar privacidade e segurança de dados (52%). São também citados aspectos como: acesso limitado a dados e análise em toda a organização (28%) e o fato das ferramentas não serem intuitivas (27%). Segundo os respondentes, são três os principais pontos que poderiam favorecer a implementação: incorporação do Data & Analytics às ferramentas como e-mail, SharePoint, navegador web (52%) e aos aplicativos comerciais mais populares, como Salesforce, Slack (50%); além da disponibilidade de ferramentas ou treinamentos mais intuitivos e convenientes (49%).

Outros destaques revelados sobre uso do Data & Analytics globalmente

- Governança de dados: apenas 15% das companhias afirmam ter mais de 75% dos seus dados governados;

- Uso avançado de Data & Analytics: 59% estão somente agora trabalhando para construir aplicações avançadas e preditivas;

- Mobilidade: 85% das empresas consideram esse tipo de estratégia importante para o sucesso dos seus negócios;

- Cloud: 40% planejam a mudança no próximo ano e 31% estão considerando migrar nos próximos cinco anos para aplicações cloud based BI;

- Investimentos: Para o próximo ano 65% das empresas ouvidas pela Pesquisa têm planos de investir mais em suas iniciativas de Data & Analytics e 65% também pretende investir em aquisições de novos talentos.

O estudo de Data & Analytics conclui que à medida que esta nova década movida pela inovação aproxima-se, uma porcentagem menor de líderes se sentem confiantes com o progresso de suas estratégias. Com a disrupção digital surpreendendo e até mesmo provocando a extinção de grandes marcas, as organizações estão sendo alertadas de que essa é a hora de mudar. E para isso, serão necessários novos insights que as capacitem a avançarem cada vez mais. Enquanto algumas dessas empresas optaram por apertar o "pause" e a transformação digital dos seus negócios, outras já estão na direção de promover essas mudanças a partir de 2020, cenário este exigirá experiências e respostas baseadas em informações, em tempo real. A maioria das organizações, no entanto, fica em algum lugar no meio desse caminho. 

Leia mais ...

Hub Fintech investe R$ 20 milhões e passa a atuar no mercado de cartões Alimentação

Atualmente, grandes varejistas firmaram convênio direto e já estão aceitando os cartões da fintech, entre elas as redes de alimentação Mundo Verde, Pizza Hut, Taco Bell, e KFC

Para ampliar ainda mais o escopo de serviços oferecidos ao mercado de meios de pagamento, a Hub Fintech, empresa referência em soluções Banking as a Service para o mercado B2B2C, que oferece soluções para conta digitais, recebíveis e pagamentos corporativos, no modelo White Label e que já conta com mais de 4 milhões de contas ativas, anuncia sua entrada no segmento de cartões de benefícios PAT (Programa de Alimentação e Refeição), com a solução Hub Benefits.

 

Atualmente, grandes varejistas firmaram convênio direto e já estão aceitando os cartões da fintech, entre elas as redes de alimentação Mundo Verde, Pizza Hut, Taco Bell, e KFC. “Nossa meta é fechar em breve, convênios de aceitação com os 15 maiores supermercadistas e as 20 principais rede de fast food, e firmar parcerias com as empresas que irão distribuir nossos cartões, como já fazemos com o banco digital Social Bank”, diz Alexandre Brito, CEO da Hub Fintech.

 

O projeto teve um investimento de R$ 14 milhões até o momento, e deve consumir mais R$ 6 milhões em 12 meses, em desenvolvimento da plataforma, treinamento da equipe, e parcerias estratégicas com grandes players de mercado.

 

Com a Hub Benefits, os clientes podem contar com a infraestrutura, as licenças da Hub e a customização integral de seus cartões, apps e canais, para desenvolver uma solução totalmente personalizada. “Os clientes não precisam investir em infraestrutura e operação, pois contamos com uma infraestrutura própria e única no mundo que atende de ponta a ponta o processo que envolve os cartões de benefícios, desde a impressão e personalização, o embossing, até o processamento das informações, o suporte aos usuários, e toda a segurança que isso requer, e no modelo White Label. Com isso, garantimos capacidade, rapidez, flexibilidade, escalabilidade, inovação e inteligência aos projetos”.

 

Além disso, é possível reduzir custos com as taxas de administração cobradas pelas fornecedoras de soluções de benefícios dos varejistas. “Permitimos a liquidez em um dia, sendo que o padrão do mercado é de 30 dias e ainda com a cobrança de tarifas. Somos os únicos a não cobrar esse custo, e ainda liquidamos no dia seguinte à operação. Isso é um grande diferencial”, garante, Brito.

 

Para facilitar a interação com os usuários dos cartões, a Hub Benefits conta com um aplicativo que permite a consulta de extratos, saldo, consumo diário, rede credenciada, entre outras funções, que também pode ser desenvolvido no modelo White Label, ou seja, com toda a personalização que os clientes necessitarem

Leia mais ...

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes