Menu

TIM e C6 Bank criam oferta integrada de serviços financeiros e de telecom

Acordo com um dos maiores bancos digitais do país marca a entrada da operadora no segmento financeiro, com benefícios especiais aos seus clientes

 

A TIM e o C6 Bank anunciaram uma parceria estratégica que prevê a oferta conjunta de serviços financeiros e de telecomunicações. A iniciativa marca a entrada da operadora no segmento financeiro de uma forma inédita no Brasil. Os clientes poderão contar com benefícios especiais e a conveniência dos serviços das duas empresas. A oferta integrada será lançada ainda este ano para um público potencial de cerca de 55 milhões de usuários da TIM, além de novos clientes.

"Mais uma vez a TIM inova e fecha uma parceria com um dos maiores bancos digitais do país, com o objetivo de oferecer o máximo de benefícios para sua base de clientes, contemplando também os consumidores não-bancarizados, que hoje fazem parte de um grupo de cerca de 45 milhões de brasileiros", explica Renato Ciuchini, Head de Estratégia e Transformação da TIM.

O C6 Bank atingiu a marca de 1,5 milhão de contas abertas em fevereiro de 2020 - a instituição financeira foi lançada em agosto de 2019. O banco, que funciona sem agências físicas, já oferece ampla variedade de produtos. Além da oferta básica, que inclui conta corrente sem taxa de manutenção, pagamentos, cartão múltiplo, TEDs e saques ilimitados, o banco oferece tag de pedágio gratuita (C6 Taggy), conta internacional em dólar, transferência por SMS (C6 Kick), CDBs, fundos e crédito pessoal.

"O negócio representa a junção de dois segmentos, o de serviços financeiros e de telecomunicações, com grande sinergia. A partir da evolução do comportamento dos usuários, será possível ampliar a oferta de serviços customizados", diz Tiago Galli, Chefe da Área de Parcerias de Telecom no C6 Bank.

O acordo também envolve potencial participação minoritária da TIM no capital do C6 Bank, a depender da evolução dos resultados da parceria. O Credit Suisse foi o advisor, assessorando o C6 Bank. A TIM foi assessorada por Renato Grelle da Sakhra.

Leia mais ...

Lucro líquido do banco Desenvolve SP avança 223% em 2019

Resultado recorde de R$ 47,6 milhões decorre do aumento na geração de receitas, da diminuição de despesas e da melhoria do índice de inadimplência

 

A Desenvolve SP - O Banco do Empreendedor alcançou o melhor resultado da sua história no ano de 2019. A instituição financeira do Governo de São Paulo obteve lucro líquido de R$ 47,6 milhões e superou em 223% o resultado de 2018, quando atingiu R﹩14,4 milhões.

O resultado é o melhor do banco desde que ultrapassou a fase pré-operacional em 2012 e deve-se à nova estratégia implementada a partir do ano passado, focada na geração de novos negócios, no aumento na arrecadação de receitas com tarifas, no controle da inadimplência e na redução drástica das despesas do banco.

"O fato de a Desenvolve SP atingir o maior lucro do período operacional da sua história em 2019 marca o começo de uma nova década para a instituição. Queremos, cada vez mais, nos tornar o braço financeiro do Governo de São Paulo, e auxiliar na execução das políticas públicas do Estado. Além disso, nosso foco é estimular o crescimento sustentável das micro, pequenas e médias empresas e municípios, fortalecendo a economia paulista, gerando emprego e renda", afirma o presidente da Desenvolve SP, Nelson de Souza.

Com o novo direcionamento estratégico, a direção da instituição agiu sobre as operações de crédito que apresentavam atraso. As ações buscaram maior pulverização de suas operações, melhorias na gestão de cobrança, o que resultou na redução do índice de inadimplência, fechando o ano com o menor nível da história, 1,61%. O índice de inadimplência de 2018 foi de 5,33%, uma redução de 3,72 p.p.

Evolução de 329% do resultado operacional

Entre os números positivos destacam-se o crescimento de 329% do resultado operacional: de R﹩ 13,7 milhões para R$ 58,8 milhões, além da evolução do patrimônio líquido de R$ 1,060 bilhão para R﹩ 1,122 bilhão, entre os dois últimos exercícios. A melhoria desses indicadores impulsionou também o Retorno Anualizado sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) que, em 2019, foi de 4,36%, com uma evolução de 316%, ou mais de três pontos percentuais em relação a 2018.

Além disso, a Desenvolve SP reduziu suas despesas em cerca de 32% no exercício anual de 2019, com ênfase na nova gestão que, segundo ela, prioriza a eficiência, pessoas, parcerias, inovação e crédito. Os custos operacionais passaram de R$ 124 milhões em 2018 para R$ 84,7 milhões em 2019.

Outro indicador favorável foi o Índice de Eficiência, que revela a melhoria na relação entre despesas e receitas no ano em que a instituição se reposicionou como o Banco do Empreendedor. Em 2019, esse indicador atingiu o percentual de 61,22%, melhora de 35 pontos percentuais comparado a 2018 (96,1%).

Os desembolsos somaram no ano passado R$ 416,4 milhões, em 942 operações. No ano anterior, a quantidade de liberações somou 798. Ao todo, foram atendidas, em 2019, 881 empresas e 79 prefeituras, em 233 cidades paulistas.

Mais da metade dos desembolsos, 55,8%, foi destinada aos projetos de investimento. Cerca de 5,5% financiaram a compra de máquinas e equipamentos e 38,7% o capital de giro, na modalidade de crédito digital com aprovação em 48 horas. Também em consonância com a estratégia de ampliar a atuação entre as micro, pequenas empresas paulistas, a Desenvolve SP bateu o recorde de atendimento a esse segmento com 735 companhias, totalizando R$ 119, 2 milhões de desembolsos.

Classificação de risco

Recente avaliação da Moody´s, uma das principais agências de classificação de risco de crédito do mundo, destacou a capacidade da gestão atual da Desenvolve SP de gerar receitas recorrentes juntamente com os esforços em diversificar fontes de resultados e estabelecer parcerias internacionais para projetos estratégicos no Estado de São Paulo.

O Banco do Empreendedor recebeu da Moody´s ratings de emissor de longo e curto prazo em moeda local na escala global de Ba2 e Not Prime, entrando no mesmo patamar de rating do Estado de São Paulo e do Brasil. A divulgação do rating reflete também, conforme o balanço, o comprometimento da Desenvolve SP com as melhores práticas de Governança e Compliance.

“Estamos construindo resultados sustentáveis capazes de estimular a economia paulista de forma perene e significativa. Nosso objetivo é multiplicar o impacto da Desenvolve SP na economia sempre com foco na melhoria do ambiente de negócio, gestão pública de excelência, geração de emprego e renda no Estado de São Paulo, e devidamente alinhados com os objetivos do governo e as boas práticas de governança”, destaca Nelson de Souza.

Principais destaques na comparação de 2019 com 2018

• Lucro Líquido recorde de R$ 47,6 milhões, evolução de 223%

• Menor Índice de inadimplência da história: 1,61%; redução de 3,72 p.p.

• Índice de Eficiência: Evolução de 35 p.p. - 61,22%

• Melhor índice de cobertura da história: 136%

• Resultado Operacional de R$ 58,8 milhões, evolução de 329%

• Despesas: Redução de 32%

• Despesa com PDD: Redução de 67%

• (ROAA): evolução de 1,75 p.p. - 2,62%

• (ROAE): aumento de 3 p.p. - 4,36%

• Resultado bruto de intermediação financeira: R$ 104 milhões, aumento percentual de 64%

• Receita de prestação de Serviços: R$ 12,2 milhões, aumento de 83%

 

Leia mais ...

Febraban divulga nota de apoio ao PIX

Novo sistema de pagamentos instantâneo, segundo a entidade, vai estimular a competividade e aprimorar a eficiência no mercado de pagamentos

 

Em nota, a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) manifestou-se a respeito do lançamento do novo sistema de pagamentos instantâneos, batizado de PIX, que passará a operar a partir de novembro deste ano. A entidade destacou o caráter inovador do sistema, cujo funcionamento, segundo ela, fortalecerá a competição na indústria financeira e trará maior segurança e conveniência aos clientes.

A Federação lembra ter colaborado, junto com os bancos do País, com o  desenho do novo ambiente de pagamentos, lançado pelo Bacen. Com o PIX, será possível enviar e receber dinheiro durante 24 horas por dia, 7 dias por semana, em transações entre pessoas, empresas e governo, de forma fácil, simples e instantânea.

A nota afirma que a entidade é favorável a medidas que reduzam a necessidade de circulação de dinheiro em espécie, cujo custo logístico totaliza cerca de R$ 10 bilhões ao ano. Também apoia a iniciativa por aumentar a inclusão financeira no país, estimular a competitividade e aprimorar a eficiência no mercado de pagamentos.

"A Febraban vê o PIX como uma inovação que trará mais segurança e conveniência ao consumidor em suas transações financeiras", afirma Leandro Vilain, diretor de Negócios e Operações da Febraban. "Essa medida é condizente com os investimentos que o setor bancário vem fazendo em modernização tecnológica, de aproximadamente R$ 19,5 bilhões anuais."

Para aderir ao PIX, os bancos brasileiros irão investir recursos adicionais em infraestrutura, tecnologia e segurança para padronizar e organizar um sistema dentro um ambiente de comodidade e confiabilidade para o cliente.

"Os provedores de serviços de pagamento estão trabalhando com o Banco Central para que as transações tenham o menor custo possível para o consumidor", afirma Vilain. Cada instituição irá definir suas tarifas, de acordo com sua política de negócios.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes