Menu

Agibank anuncia medidas para apoiar seus clientes frente ao coronavírus

Banco digital prevê parcelar faturas, refinanciar e conceder novos créditos para dar suporte a mais de um milhão de clientes na pandemia

 

O Agibank, banco digital omnichannel, acaba de anunciar as suas iniciativas em apoio aos mais de um milhão de clientes da instituição durante a pandemia. Entre as medidas estão um novo produto de seguro de vida, que subsidia a compra de medicamentos, e a possibilidade de refinanciamento em canais alternativos.

O novo seguro, fruto da recente parceria com a seguradora Generali, tem baixo custo de aquisição e oferece, sem carência, o valor de R$ 150 para compra de medicamentos em farmácias para cada consulta de emergência realizada. Já o refinanciamento de empréstimos poderá ser realizado pelo cliente diretamente no caixa eletrônico, por telefone e no aplicativo, com menores taxas e maior prazo para pagamento.

O Agibank também oferecerá para clientes com a fatura do cartão de crédito em dia a condição de parcelamento das faturas com vencimento a partir de 15 de abril, com juros reduzidos para 1,99% a.m. Outra novidade será a concessão de novos limites de cartão de crédito para aqueles clientes que até então não tinham nenhum limite, o que vai na contramão dos cortes ou do aumento dos custos com o crédito observados em alguns bancos e fintechs.

"Em momentos como esse reforçamos o nosso compromisso de estar sempre ao lado do cliente, em todos os canais. A nossa condição de ter presença digital e física é um valor muito importante, pois garantimos o autoatendimento para quem prefere e não descuidamos daqueles que ainda precisam do atendimento presencial para resolver as suas necessidades financeiras. Pagamos benefícios, salários, logo somos um serviço essencial, que deve ser garantido à população", comenta Marciano Testa, CEO do Agibank. Para quem está com dificuldade financeira ou ainda busca conversar sobre algum tema específico, foi disponibilizada uma equipe exclusiva na central de atendimento do banco. Além disso, uma boa parcela da base de clientes da instituição está recebendo ligações dos colaboradores apenas para tranquilizar, bater um papo e prestar assistência. "O atendimento é um diferencial do Agibank e a atenção ao cliente nos momentos de dificuldade tem ainda mais valor. Afinal, não podemos desacelerar quando as pessoas mais precisam", afirma o CEO.

Desde o início da quarentena no Brasil, a instituição migrou 100% dos colaboradores da sua sede e do seu call center para o modelo de home office, mantendo os funcionários em atendimento nos pontos físicos, sempre em acordo com os protocolos de segurança e prevenção necessários, o que inclui escalas, horários reduzidos, entre outros. Além disso, os colaboradores também vão usufruir do benefício para compra de medicamentos ao longo dos próximos seis meses.

Leia mais ...

TIM e C6 Bank criam oferta integrada de serviços financeiros e de telecom

Acordo com um dos maiores bancos digitais do país marca a entrada da operadora no segmento financeiro, com benefícios especiais aos seus clientes

 

A TIM e o C6 Bank anunciaram uma parceria estratégica que prevê a oferta conjunta de serviços financeiros e de telecomunicações. A iniciativa marca a entrada da operadora no segmento financeiro de uma forma inédita no Brasil. Os clientes poderão contar com benefícios especiais e a conveniência dos serviços das duas empresas. A oferta integrada será lançada ainda este ano para um público potencial de cerca de 55 milhões de usuários da TIM, além de novos clientes.

"Mais uma vez a TIM inova e fecha uma parceria com um dos maiores bancos digitais do país, com o objetivo de oferecer o máximo de benefícios para sua base de clientes, contemplando também os consumidores não-bancarizados, que hoje fazem parte de um grupo de cerca de 45 milhões de brasileiros", explica Renato Ciuchini, Head de Estratégia e Transformação da TIM.

O C6 Bank atingiu a marca de 1,5 milhão de contas abertas em fevereiro de 2020 - a instituição financeira foi lançada em agosto de 2019. O banco, que funciona sem agências físicas, já oferece ampla variedade de produtos. Além da oferta básica, que inclui conta corrente sem taxa de manutenção, pagamentos, cartão múltiplo, TEDs e saques ilimitados, o banco oferece tag de pedágio gratuita (C6 Taggy), conta internacional em dólar, transferência por SMS (C6 Kick), CDBs, fundos e crédito pessoal.

"O negócio representa a junção de dois segmentos, o de serviços financeiros e de telecomunicações, com grande sinergia. A partir da evolução do comportamento dos usuários, será possível ampliar a oferta de serviços customizados", diz Tiago Galli, Chefe da Área de Parcerias de Telecom no C6 Bank.

O acordo também envolve potencial participação minoritária da TIM no capital do C6 Bank, a depender da evolução dos resultados da parceria. O Credit Suisse foi o advisor, assessorando o C6 Bank. A TIM foi assessorada por Renato Grelle da Sakhra.

Leia mais ...

Lucro líquido do banco Desenvolve SP avança 223% em 2019

Resultado recorde de R$ 47,6 milhões decorre do aumento na geração de receitas, da diminuição de despesas e da melhoria do índice de inadimplência

 

A Desenvolve SP - O Banco do Empreendedor alcançou o melhor resultado da sua história no ano de 2019. A instituição financeira do Governo de São Paulo obteve lucro líquido de R$ 47,6 milhões e superou em 223% o resultado de 2018, quando atingiu R﹩14,4 milhões.

O resultado é o melhor do banco desde que ultrapassou a fase pré-operacional em 2012 e deve-se à nova estratégia implementada a partir do ano passado, focada na geração de novos negócios, no aumento na arrecadação de receitas com tarifas, no controle da inadimplência e na redução drástica das despesas do banco.

"O fato de a Desenvolve SP atingir o maior lucro do período operacional da sua história em 2019 marca o começo de uma nova década para a instituição. Queremos, cada vez mais, nos tornar o braço financeiro do Governo de São Paulo, e auxiliar na execução das políticas públicas do Estado. Além disso, nosso foco é estimular o crescimento sustentável das micro, pequenas e médias empresas e municípios, fortalecendo a economia paulista, gerando emprego e renda", afirma o presidente da Desenvolve SP, Nelson de Souza.

Com o novo direcionamento estratégico, a direção da instituição agiu sobre as operações de crédito que apresentavam atraso. As ações buscaram maior pulverização de suas operações, melhorias na gestão de cobrança, o que resultou na redução do índice de inadimplência, fechando o ano com o menor nível da história, 1,61%. O índice de inadimplência de 2018 foi de 5,33%, uma redução de 3,72 p.p.

Evolução de 329% do resultado operacional

Entre os números positivos destacam-se o crescimento de 329% do resultado operacional: de R﹩ 13,7 milhões para R$ 58,8 milhões, além da evolução do patrimônio líquido de R$ 1,060 bilhão para R﹩ 1,122 bilhão, entre os dois últimos exercícios. A melhoria desses indicadores impulsionou também o Retorno Anualizado sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) que, em 2019, foi de 4,36%, com uma evolução de 316%, ou mais de três pontos percentuais em relação a 2018.

Além disso, a Desenvolve SP reduziu suas despesas em cerca de 32% no exercício anual de 2019, com ênfase na nova gestão que, segundo ela, prioriza a eficiência, pessoas, parcerias, inovação e crédito. Os custos operacionais passaram de R$ 124 milhões em 2018 para R$ 84,7 milhões em 2019.

Outro indicador favorável foi o Índice de Eficiência, que revela a melhoria na relação entre despesas e receitas no ano em que a instituição se reposicionou como o Banco do Empreendedor. Em 2019, esse indicador atingiu o percentual de 61,22%, melhora de 35 pontos percentuais comparado a 2018 (96,1%).

Os desembolsos somaram no ano passado R$ 416,4 milhões, em 942 operações. No ano anterior, a quantidade de liberações somou 798. Ao todo, foram atendidas, em 2019, 881 empresas e 79 prefeituras, em 233 cidades paulistas.

Mais da metade dos desembolsos, 55,8%, foi destinada aos projetos de investimento. Cerca de 5,5% financiaram a compra de máquinas e equipamentos e 38,7% o capital de giro, na modalidade de crédito digital com aprovação em 48 horas. Também em consonância com a estratégia de ampliar a atuação entre as micro, pequenas empresas paulistas, a Desenvolve SP bateu o recorde de atendimento a esse segmento com 735 companhias, totalizando R$ 119, 2 milhões de desembolsos.

Classificação de risco

Recente avaliação da Moody´s, uma das principais agências de classificação de risco de crédito do mundo, destacou a capacidade da gestão atual da Desenvolve SP de gerar receitas recorrentes juntamente com os esforços em diversificar fontes de resultados e estabelecer parcerias internacionais para projetos estratégicos no Estado de São Paulo.

O Banco do Empreendedor recebeu da Moody´s ratings de emissor de longo e curto prazo em moeda local na escala global de Ba2 e Not Prime, entrando no mesmo patamar de rating do Estado de São Paulo e do Brasil. A divulgação do rating reflete também, conforme o balanço, o comprometimento da Desenvolve SP com as melhores práticas de Governança e Compliance.

“Estamos construindo resultados sustentáveis capazes de estimular a economia paulista de forma perene e significativa. Nosso objetivo é multiplicar o impacto da Desenvolve SP na economia sempre com foco na melhoria do ambiente de negócio, gestão pública de excelência, geração de emprego e renda no Estado de São Paulo, e devidamente alinhados com os objetivos do governo e as boas práticas de governança”, destaca Nelson de Souza.

Principais destaques na comparação de 2019 com 2018

• Lucro Líquido recorde de R$ 47,6 milhões, evolução de 223%

• Menor Índice de inadimplência da história: 1,61%; redução de 3,72 p.p.

• Índice de Eficiência: Evolução de 35 p.p. - 61,22%

• Melhor índice de cobertura da história: 136%

• Resultado Operacional de R$ 58,8 milhões, evolução de 329%

• Despesas: Redução de 32%

• Despesa com PDD: Redução de 67%

• (ROAA): evolução de 1,75 p.p. - 2,62%

• (ROAE): aumento de 3 p.p. - 4,36%

• Resultado bruto de intermediação financeira: R$ 104 milhões, aumento percentual de 64%

• Receita de prestação de Serviços: R$ 12,2 milhões, aumento de 83%

 

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes