Menu

Santander abre inscrições para o 2º The Code Force - Hackathon Destaque

Farol Santander, espaço onde será realizado o hackathon Farol Santander, espaço onde será realizado o hackathon

Equipes com desenvolvedores, designers e especialistas de negócios desenvolverão soluções para três empresas do ecossistema do banco: emDia, Pi e SIM.

O Santander Brasil abre as inscrições para a segunda edição do The Code Force – Hackathon. A maratona visa estimular a criação de novas soluções tecnológicas, atendendo aos desafios propostos de três empresas do ecossistema Santander: a emDia, de negociação online de dívidas; a Pi, plataforma digital de investimentos; e SIM, que concede crédito com garantia.

Podem participar desenvolvedores, designers e especialistas de negócios de qualquer lugar do País, e as inscrições deverão ser realizadas no site www.thecodeforce.com.br. O prazo de envio dos dados dos interessados vai até 10 de março.

“Estamos disseminando cada vez mais a cultura de inovação no banco. Queremos ser uma plataforma financeira que une o tech e o humano na busca da eficiência, agilidade e a melhor experiência para os clientes”, afirma Geraldo Rodrigues, diretor de Negócios Digitais do Santander Brasil. Além disso, segundo o executivo, por meio do The Code Force, o banco quer engajar seus próprios talentos e atrair os que estão no mercado.

No último dia de inscrições para o 2º The Code Force, 10 de março, será realizado um evento de warm-up (aquecimento), aberto ao público (inscritos ou não). Na ocasião, serão apresentados com mais detalhes os objetivos e os desafios do Hackathon, bem como as eventuais interfaces de programação de aplicações (APIs, na sigla em inglês) - que serão disponibilizadas para as equipes criarem suas soluções. O warm-up será feito no 8º andar do Farol Santander, no centro de São Paulo, das 19h às 22h, e os interessados em participar também deverão se inscrever no site www.thecodeforce.com.br.

Cronograma do hackathon

O The Code Force – Hackathon terá início às 8h do dia 21 (sábado) e terminará às 20h de 22 de março (domingo), em dois andares do Farol Santander (8º e 9º). Até 80 participantes serão selecionados e agrupados em equipes multidisciplinares, cada uma com cinco membros: dois desenvolvedores, dois designers e um especialista de negócios. Mentores auxiliarão os participantes durante a maratona nas fases de ideação, prototipação e apresentação de pitches.

Os desafios propostos são:

emDia: como podemos ajudar os 61 milhões de brasileiros inadimplentes a negociarem suas dívidas, de forma simples, humanizada e digital?

Pi: como facilitar a jornada do usuário na escolha do investimento ideal, de acordo com o seu perfil e o seu momento de vida?

SIM: como ajudar o cliente a entender, com mais profundidade, sua situação de crédito no mercado e/ou estimulá-lo a pagar em dia seus compromissos? 

As equipes serão avaliadas por um júri composto por executivos do Santander de acordo com os seguintes critérios: protótipo funcional; usabilidade e design; criatividade e grau de inovação; adesão ao desafio proposto; impacto no negócio; impacto social e fator “WOW” da solução. As três equipes mais bem avaliadas serão premiadas com drones, robôs inteligentes-aspiradores de pó e assistentes virtuais inteligentes.

Farol Santander

“O Farol Santander, além de ser um centro de empreendedorismo, cultura e lazer, é a sede de empresas do ecossistema Santander e do nosso espaço de Inovação, o Lab 033. Acreditamos que todo esse movimento traz vida ao centro de São Paulo, estimulando negócios na região”, explica Tomás Mariotto, superintendente do Lab 033 do Santander Brasil. “Faremos um hackathon sustentável, com o compromisso de termos o menor impacto ambiental possível, com emissão zero de carbono. O conceito de #Desplastifique, usado em todo o banco, também estará inserido no evento”, completa.

A primeira edição do The Code Force do Santander Brasil ocorreu em 2016/17 e registrou mais de 700 inscrições. Na ocasião, os desafios foram pagamentos e frictionless; blockchain e digital assets; POS 3.0 e merchant e IoT & machine learning.

Os finalistas foram a Bankbox, que criou uma solução para auxiliar os pais na educação financeira dos seus filhos, utilizando gamification; a UMhelp, que usou de machine learning, big data e chatbot para resolver problemas de cartão de crédito, evitando inadimplência e churn; a Partiu, que criou uma melhor experiência de pagamento em restaurantes para usuários, permitindo ao consumidor fazer um pedido, rachar conta, sem pegar fila ou esperar o garçom; e a Piggy, que desenvolveu o “porquinho-cofre” 100% digital, que colabora com o consumidor para poupar dinheiro por meio de microtransações, ao arredondar pagamentos para cima.

Os cinco grupos finalistas receberam R$ 5 mil e foi escolhido somente um vencedor, a Piggy, que recebeu R$ 25 mil. 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes